domingo, 15 de outubro de 2017

LEITURA

Um achado para a minha função como Monitora da Rádio Facom na UFJF, o livro Estrutura da Informação Radiofônica de Emílio Prado, me capacitou a preparar treinos de nota e locução, juntamente com a Capacitação em Saúde Vocal

Para minha rotina já utilizava os manuais de Radiojornalismo porém, este livrinho de 104 páginas (o menor de todos do segmento que eu li até agora)  descreve minuciosamente como solucionar dificuldades, além de fornecer os conhecimentos da área.

O diferencial dele está na mudança que ele traz de pensamento, para quem atua no jornal impresso, e especifica como deve ser lidar com a informação no rádio.

Fundamental leitura para quem precisa tirar dúvidas e lidar com dificuldades de alunos como: para falar no rádio, escrever as notícias, e o fazer jornalístico radiofônico em suas pecualiaridades.

Simples e direto, o livro responde as dúvidas mas não aprofunda nos temas, o que mantém a necessidade da consulta aos manuais tradicionais da área.



sábado, 14 de outubro de 2017

CAPACITAÇÃO

Introdução ao Marketing de Influência

O curso faz parte da Academia Comunique-se ministrado por Cassio Politi, diretor de marketing do Comunique-se e fundador da consultoria Tracto Content Marketing.  Ele é especialista em content marketing ou, na versão aportuguesada do termo, marketing de conteúdo.

Quanto ao conteúdo, o curso de Introdução ao marketing de influência, apresenta os conceitos básicos sobre o que é, como funciona e como aplicar ao seu plano de marketing.

Minha Conclusão:
O mais interessante é perceber que as mudanças em vendas por conta da internet mantém a tradição, pois sempre foi dito na área de vendas e de marketing que uma indicação vale mais do que uma propaganda. O conceito apresentado reforça isso na atualidade. Ao utilizar pessoas influentes para engajar o seu público é possível adaptar o conceito para a realidade atual.

A meu ver antes o foco era no cliente que devia ser bem atendido e, quando satisfeito, infuenciava positivamente os amigos e familiares sobre o produto. A mídia era convergente.

Com a segmentação de público, esse conceito se aplica pois torna-se necessário encontrar quem influencia o nicho do qual o público-alvo faz parte.